O tempo está passando

O tempo está passando. E o tempo não é mais dinheiro… para alguns sim, ainda. Para quem já está um pouco antenado, menos adormecido, não é assim. Tempo é vida, tempo é uma estória contada para o filho, tempo é abraço, tempo é olhar o céu e ver além das nuvens, tempo é lembrar, tempo é esquecer, tempo é dançar junto aquela música preferida, tempo é vida, tempo é vida.

Tempo é vida, tempo é ficar parado no trânsito, tempo é aquela discussão que estragou o dia, tempo é o beijo que não se deu, tempo é um último adeus, tempo é aquela visão da miséria ali na esquina, tempo é vida, tempo é vida.

O poeta anunciou que devemos nos embriagar para não sermos “escravos martirizados do Tempo”, embriagarmo-nos com vinho, poesia, virtude… a escolher… (Baudelaire, Enivrez-vous)

Embriaguemo-nos de vida, de vida, de vida. Embriagar-se é entrega, é convidar os anjos e os demônios a dançarem no palco colorido e cênico da vida. Somos a dança, somos os atores, somos diretores, somos nada. Somos vida, e somos nada, somos morte também.

O tempo está passando. Vamos chegar atrasados demais? O relógio da lebre é algoz ou aliado? Estamos perdidos, encontrados?

O tempo está passando, enquanto escrevo, a ampulheta imóvel não interfere no ínfimo canal por onde a areia escorre, ela é o tempo, a areia é o tempo, eu sou o tempo, você que lê é o tempo.

Está passando… vale se desesperar? É possível burlar? É possível dormir sem hora para acordar?

O tempo está passando, não há antecipar, adiar, prever, cancelar…

Estamos fadados ou abençoados com o presente, o presente é o tempo, o presente é a vida.

Aqui é o fim de um tempo… areia escorre… acabou.

— Texto escrito no tempo da areia escorrer pela ampulheta – talvez 15 minutos do relógio. Nesse tempo, digitei, busquei a imagem, conversei com minha mãe que entrou nesta sala… e o tempo continua passando. — 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *