agosto 12, 2016

sobre elise

elise-sobre“se você pretende saber quem eu sou… eu posso lhe dizer…”

se você chegou até aqui, está um pouco curioso para saber quem sou.

não vou cantar a música agora, nem pedir para entrar no meu carro e sairmos pela estrada de santos, mas já adianto que não é muito fácil uma página “sobre” apresentar qualquer pessoa… a cada momento, já sou outra e uma nova, assim somos nós e as estradas e curvas da vida. mas… chega de filosofia diluída.

elise, elise haas, elise haas de abreu, elise de abreu, elise abreu…? quem?

sou brasileira, de florianópolis, filha da rosana e do pedro paulo, irmã do bernardo, do gabriel, e de um irmão ou irmã que não chegou a ter nome. sou neta de inês e do bernardo, do seu joão e da dona olga, a quem agradeço em silêncio todos os dias dessa vidazinha. sou também um tanto filha de coração da dalva, que me ensinou a ser gente, a cantar, sambar, fazer bolo (quer ver o de fubá e coco), a brincar, e a buscar a alegria e a leveza, no meio de muito caos e tensão interna. esclarecimento necessário: nunca fui calma, embora muitos achem isso olhando só a casca.

sou companheira de amor e vida compartida do leonardo. sou parceira de criações,  música e caminhada artística e educativa de lony. sou amiga de algumas belas e raras pessoas. sou aluna eterna de outras preciosas criaturas. sou servidora da justiça, sou autora meio maternal de carinho é bom e psicóloga e terapeuta em eterna formação na abordagem gestáltica e na vida-terapia-mesmo.

escrevo, leio, canto, planto, converso e escuto pessoas, aprendo e ensino um pouco a cada dia, me sinto a desafiada a reconhecer quem sou e a estabelecer limites saudáveis na vida.

adoro música, chás e sucos, gente inteligente e sensível, com quem possa partilhar voz, silêncio e vida. me irrita o trânsito, a grosseria, e a etiqueta daquela camiseta que fica “pinicando” a pele. não gosto também de língua bovina, embora minha mãe sempre tenha tentado me fazer mudar de ideia e gosto a respeito disso. barulho  e gritaria também me dá uma certa vontade de ir pra lua, marte, júpiter ou qualquer outro lugar, mesmo que congele, seja gasoso ou derreta.

se quiser, pode me escrever, vou ler sim, e, posso demorar um tanto, mas dou um alô.  contato@elisehaas.com.br